O que fazer antes, durante e depois de uma situação de emergência?

Situações de emergência, embora comuns, costumam ser subestimadas – com a correria do dia a dia, é normal esquecermos dos perigos que nos cercam, e termos o pensamento de que situações ruins nunca irão nos atingir diretamente. A realidade, porém, é outra, já que os índices de violência, acidentes e incêndios continuam bem altos no país. Por isso, é de extrema importância que saibamos como nos prevenir de tais situações de perigo, além de termos conhecimento sobre as atitudes necessárias durante e após tais acontecimentos. 

Por esse motivo, separamos aqui dicas importantes que podem te ajudar em cada etapa da sua segurança, a fim de que você não se desespere e saiba como agir nos diferentes cenários de emergência. Confira!

1° etapa: a prevenção

Ter conhecimento sobre as medidas preventivas é uma das melhores formas de se evitar situações de perigo, pois te deixa mais preparado para os possíveis riscos em diferentes cenários. Por isso, é bom prestar uma atenção especial nessa etapa, já que cumprir essas dicas pode diminuir bastante a probabilidade de passar por acontecimentos indesejados, e garantir uma vida com menos sustos e mais tranquilidade, que é a nossa principal meta. Observe algumas dessas medidas a seguir:

Nas ruas: 

  • Evite andar sozinho tarde da noite, pois é o horário preferido de pessoas más intencionadas, já que as ruas estão mais vazias.
  • Escolha o seu trajeto evitando passar por ruas pouco movimentadas e iluminadas. É sempre bom dar uma pesquisada sobre as vias mais seguras antes de sair de casa.
Foto: Thiago Gadelha
  • Confie na sua intuição: se sentir que está sendo seguido, tente mudar de calçada e procurar um estabelecimento em que possa pedir ajuda.
  • Evite andar com materiais de valor. Caso realmente precise levá-los, vá de carro, peça um uber ou uma carona de amigos. Outra dica importante é, sempre que for sacar uma grande quantidade de dinheiro, saiba separá-lo em diferentes locais para que, caso seja assaltado, não perca tudo o que possui.
  • Se precisar pegar ônibus, pesquise o ponto próximo mais movimentado e perto de estabelecimentos comerciais.
  • Nunca use locais isolados para namorar: embora seja comum a procura por privacidade, evite locais muito isolados, para não se tornar presa fácil de malfeitores.
  • Fique sempre atento: ao andar nas ruas, evite falar no telefone, mexer no celular ou escutar música alta. É muito importante que você esteja atento aos arredores e foque inteiramente no seu trajeto e nas pessoas que te cercam.
  • Mantenha bolsas e carteiras sempre à vista, seja andando na rua ou no ônibus, para evitar ser alvo dos “batedores de carteira”.
  • Caminhe no sentido contrário aos carros, pois permite que você fique mais atento ao movimento e perceba atitudes estranhas como carros e motos suspeitas se aproximando de você.
  • Pesquise sobre a movimentação do seu destino antes de sair de casa, para evitar passar por congestionamentos, tumultos e protestos. Você pode utilizar as câmeras públicas da cidade para isso, ou ainda pesquisar sobre incidentes recentes na localidade.

Em casa:

  • Se possível, instale programas de monitoramento eletrônico, como alarmes e câmeras de segurança. Dessa maneira, você sempre terá ideia do que acontece dentro e nos arredores da sua residência, além de ser uma boa forma de afastar bandidos.
  • Confira todos os pontos de fragilidade da sua casa para reforçar a segurança nesses locais. Observe quais pontos da sua garagem, janela ou muro podem ser reforçados e invista em cadeados, grades e travas de segurança para evitar invasões.
  • Para que seus familiares não sejam pegos de surpresa caso haja fogo, principalmente de madrugada, uma ótima opção são os alarmes de incêndio. 
  • Reforce as grades e vidros das suas portas e janelas, adicionando trancas e cadeados.
  • Se tiver como optar, escolha casas com muros mais altos – quanto mais alto for o muro, menor a probabilidade da invasão. 
  • Se você mora em casa, sempre é bom colocar no portão externo, uma placa de “cuidado, cão bravo” pois mesmo que você não possua nenhum cachorro, já é mais uma forma de amedrontamento. 
  • Se você mora em apartamento, nunca deixe sua porta destrancada. Embora pareça uma dica óbvia, muitas pessoas tendem a achar que não terão seu apartamento invadido no meio a tantos do prédio e deixam sua porta aberta, sendo um grande risco para a sua segurança.
  • Não aceite a entrada de técnicos não solicitados. Sempre peça a identificação prévia antes de atender a porta, e não abra se for alguém que você não conhece ou não solicitou, pois pode ser um golpe.
  • Ao sair e entrar na residência, sempre observe os arredores. Se estiver chegando em casa e perceber a presença de estranhos próximos ao local, aguarde mais um pouco e não entre. Dê voltas no quarteirão e fique observando o movimento.
  • Ao viajar, peça para parentes visitarem sua casa esporadicamente para que criem alguma movimentação interna e para que façam a coleta das correspondências (já que o acúmulo de cartas pode ser um indício de casa vazia).

No carro

  • Sempre que possível, estacione seu carro em locais iluminados e movimentados.
  • Ao parar no sinal, preste muita atenção nas pessoas ao seu redor, principalmente à noite.
  • Nunca demore para sair com o carro: muitas pessoas tendem a passar um longo tempo arrumando bolsas e acessórios ao entrar no carro, mas essa atitude deve ser evitada, pois é assim que a maioria dos assaltos acontecem. Quando for sair com seu automóvel, é importante entrar rapidamente e já dar a partida.
  • Sempre leve um kit de primeiros socorros atualizado no seu carro, lembrando de um bom extintor de incêndio dentro da validade, para que você não fique na mão em casos de acidente ou incêndio.
  • Nunca viaje sem dar um check-up geral no seu carro. Estar com o motor, óleo e pneus em ótimas condições é extremamente importante para evitar acidentes na estrada.

  • Se o pneu estourar, não acione o freio! Um dos nossos extintos, ao ver o pneu estourando, é acionar bruscamente o freio do carro. Essa atitude não é recomendada, pois pode fazer com que o carro rode e até chegue a capotar. Por isso, se o pneu do seu carro estourar, reduza gradualmente a velocidade até conseguir chegar no acostamento.
  • Evite deixar objetos de valor dentro do seu carro, como bolsas, notebooks, rádios e celulares, pois eles tendem a chamar atenção dos assaltantes.
  • Outra boa alternativa é contratar um seguro para o seu carro, para que você tenha a ajuda necessária em casos de roubo e acidente.

2° etapa: o que fazer na hora da emergência?

Saber antecipadamente o que você deve fazer em cada situação de emergência pode ser um salva-vidas em momentos de perigo. Isso porque cenários de risco tendem a afetar bastante o nosso emocional, e ter o conhecimento prévio do que devemos ou não fazer em cada situação pode ser um auxílio essencial na hora do acontecimento. Separamos aqui dicas importantes para os cenários de perigo mais comuns:

Durante assaltos:

Em um assalto, nunca reaja, de maneira alguma. Não importa a situação ou qual bem material esteja em risco, é importante nunca reagir. Segundo especialistas, 80% das pessoas que reagem a assaltos são feridas no ato.

  • Não faça movimentos bruscos, pois o criminoso pode achar que você está reagindo ou tentando pegar uma arma.
  • Iniciado o roubo, permaneça imóvel, mostrando sempre as mãos e seguindo as determinações do assaltante.
  • Antes de realizar qualquer movimento (principalmente com as mãos), avise verbalmente o que está fazendo, para que o criminoso não leve um susto e acabe machucando você.
  • Após informar sobre o movimento, realize-o de forma lenta e calma.
  • Não olhe diretamente para os olhos do assaltante, pois isso pode irritá-lo.
  • Não tente negociar bens em um momento tão crítico e perigoso. Foque na sua integridade física e mental, e entregue tudo que o criminoso ordenar.
  • Se você for baleado, se possível aplique pressão sobre o ferimento e tente procurar socorro imediatamente.

Durante invasões

  • Estando alerta sobre a invasão, tente manter todos da casa juntos em um só cômodo, trancados, para evitar que sua família esteja longe de você em uma situação de risco.
  • Se os invasores ainda não estiverem perto de você, tente contatar a polícia e mandar a localização de sua casa imediatamente, além de avisar as pessoas de sua confiança, principalmente os familiares que não estiverem no local. Faça tudo isso da forma mais silenciosa possível, sem chamar atenção.
  • Se sua casa possuir um alarme de invasores, acione-o imediatamente, pois o barulho pode assustar os malfeitores. Lembrando que só vale fazer isso se eles ainda não tiverem te visto.
  • Caso tenha um contato direto com os invasores, tente manter a calma, não faça movimentos bruscos e obedeça a todas as ordens dos criminosos.
  • Mantenha a cabeça baixa durante a invasão, e lembre-se de nunca se afastar dos seus entes queridos.
  • Nunca grite por socorro, qualquer ação precisa ser feita da forma mais silenciosa possível para que os invasores não se irritem e machuquem você e sua família.

Durante acidentes de trânsito

Em acidentes sem vítimas:

  • Retire o veículo das vias públicas, para liberar o fluxo do trânsito.
  • Anote a placa dos veículos envolvidos na batida.
  • Tente conversar com os envolvidos no acidente de forma calma.
  • Sinalize o acidente na via pública, a fim de evitar novas batidas.
  • Fotografe o cenário do acidente.
  • Acione o seguro do veículo, caso possua.
  • Realize um boletim de ocorrência.

Em acidentes com vítimas:

  • Primeiramente, verifique o estado físico dos ocupantes de ambos os veículos.
  • Assim que constatar a presença de vítimas, entre em contato com o SAMU imediatamente. Caso esteja envolvido no acidente, é obrigatório que você peça ajuda, ou será autuado por omissão de socorro.
  • Nunca movimente as vítimas: independente do estado físico em que estejam, é importantíssimo mantê-las na mesma posição. Isso porque você não sabe o real estado de saúde daquela pessoa, e movimentá-la sem a ajuda médica pode prejudicar bastante sua situação. Espere o SAMU chegar, e ele saberá o que fazer.
  • Sinalize o acidente na via pública.
  • Se alguma vítima estiver inconsciente e sem respirar, realize a massagem cardíaca. Veja vídeo de como fazer:
  • Se você não estiver bem e for uma das vítimas do acidente, peça para outra pessoa fazer o que foi mencionado e mantenha-se parado, esperando pela ajuda.

Durante incêndios

  • Ao perceber a presença de um incêndio, saia imediatamente do local. Muitas pessoas não levam em consideração a rapidez com que o fogo se alastra, e acabam ficando presas no incêndio por conta disso. Assim que perceber o início do incêndio, saia imediatamente, lembrando de fechar as portas no caminho, para retardar a propagação do fogo pela diminuição do oxigênio oferecido. Se estiver em um prédio comercial, siga as luzes e saídas de emergência.
  • No momento da fuga, preste atenção na temperatura das portas: caso a porta esteja quente, não entre por aquele cômodo. Já se a porta estiver fria, abra lentamente e veja se o calor e a pressão vêm daquele local. Se vier, procure outra saída. Se não vier, saia por ali.
  • Acione o alarme de incêndio, se existir no local.
  • Ligue para os bombeiros e peça ajuda imediatamente.
  • Se existir um extintor de incêndio no local, utilize-o.
  • Assim que começar um incêndio, coloque um pano (de preferência, molhado) sobre o rosto, protegendo o nariz e a boca, pois a fumaça possui uma toxicidade que pode te fazer desmaiar. Respire pelo nariz com fungadas rápidas.
  • Mantenha-se próximo ao chão, pois os gases tóxicos tendem a ocupar a parte superior do ambiente.
  • Caso não exista saída no local, fique atrás de uma porta, que pode servir como uma couraça, ou procure uma janela, para que você possa respirar por ela e, quem sabe, conseguir o socorro por ali.

3° parte: passei pela situação de emergência, e agora?

Ao passar por uma situação de emergência, muitas preocupações surgem em nossa cabeça: o que fazer após esse momento de perigo? Como lidar com os possíveis traumas e danos causados por tal situação? Embora cada pessoa reaja de uma maneira, algumas dicas podem te ajudar nessa etapa:

  • Após assaltos, incêndios, invasões e acidentes, é importante que você faça um boletim de ocorrência com a polícia.
  • Se existir algum seguro da sua residência ou do seu carro, entre em contato com tais serviços imediatamente.
  • Em casos de roubos de celulares, caso disponha de um aplicativo de localização, informe aos policiais, para que possam localizar seu smartphone mais rapidamente.
  • Caso você tenha sido vítima de um erro ou falta de precaução de terceiros, procure as medidas legais necessárias para que seus danos sejam minimizados ou ressarcidos. 
  • A dica mais importante, após um evento traumático, é a relacionada à sua saúde mental. Muitas pessoas não percebem, mas, após uma situação de perigo, é comum que a vítima sofra de estresse pós-traumático, que afeta consideravelmente a qualidade de vida daquela pessoa. Por isso, é importante ficar de olho nos sinais de tal condição, que vão desde pesadelos e lembranças involuntárias do incidente, até distanciamento social, depressão e alterações clínicas na vítima. Procure os cuidados médicos e psicológicos necessários após o momento de trauma, para garantir uma melhor qualidade de vida depois da situação de perigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais
artigos